CAMPEONATO MUNDIAL JUNIOR DE NATAÇÃO 2015 - SINGAPURA

CAMPEONATO MUNDIAL JUNIOR DE NATAÇÃO 2015 - SINGAPURA

DIA 6: NO ÚLTIMO DIA DO MUNDIAL, OURO COM BRANDONN ALMEIRA E BRONZE COM FELIPE SOUZA

30/08/2015 - Fonte: Mariana de Sá e Eliana Alves/CBDA - Enfim a bandeira brasileira foi alçada ao lugar mais alto do pódio e Cingapura ouviu o Hino Nacional Brasileiro. Em uma noite histórica para a natação brasileira, Brandonn Almeida conquistou a Medalha de Ouro, nos 1500m livre. A bandeira também subiu para Felipe Souza, que levou o bronze dos 100m livre, nesse domingo, (30), último dia do Campeonato Mundial Junior, realizado no OCBC Aquatics Centre, em Cingapura. O Brasil tem novos nomes promissores para o futuro da modalidade. Na noite anterior, Brandonn já havia conquistado a prata nos 400m medley, mas não estava satisfeito. Foi à volta por cima de um campeão nacional.

- Nossa! Eu não tenho palavras para descrever tanta emoção. Hoje fizemos uma prova de superação. Meu treinador, Carlão (Carlos Matheus), me disse que deveria acreditar até o fim, porque trabalhamos muito para estar entre os melhores. Ontem (sáb), eu fiquei muito triste, não por ficar em segundo, que é uma excelente colocação, mas sabia que poderia render mais. Tenho uma equipe grande que trabalha comigo e não posso deixar de agradecer o apoio do meu clube, da Confederação, dos Correios e também, claro, da minha família. Hoje tirei um peso das minhas costas porque, mesmo não fazendo a minha melhor marca, fiz valer todo nosso esforço e o que importa na final é realmente bater na frente – declarou Brandonn Almeida, que é atleta do Corinthians.  

O nadador, em conjunto com seu treinador e a comissão técnica da CBDA, optou por ficar fora do Mundial de Kazan, para o qual tinha índice, para manter o foco na busca por melhores resultados brasileiros na competição da sua categoria. Antes de vir a Cingapura, Brandonn conquistou o Ouro nos 400m medley e o bronze nos 1500m livre, no Pan-Americano de Toronto.

 - Este resultado é fruto de um processo que começou há muito tempo. Em 2013 Brandonn esteve no Mundial de Dubai, dando-lhe muita experiência. Dois anos depois, ele conseguiu índice para as três competições mais importantes do ano: Pan, Mundial de Kazan e o Mundial Junior. O treinador do Brasil, Carlos Matheus, explicou como foi definido o calendário do atleta: “Sentamos com a CBDA e com o Corinthians, para analisar a melhor estratégia para o Brasil. Achamos melhor ele nadar o Pan de Toronto, fazer seus resultados, voltar para o Brasil e treinar antes de virmos para Cingapura. Com certeza essa era a nossa principal competição, por se tratar de um Mundial e da sua categoria. Passar por todos os processos na carreira de um nadador é fundamental. Hoje, o resultado dele é fruto de muito esforço. Ele veio preparado para buscar o Ouro nos 400m medley, mas a prata tem que ser muito enaltecida também. Conquistar esta medalha de Ouro é muito importante para toda a natação brasileira além de credenciá-lo a passar bem a próxima etapa da carreira. Fundamental tem sido o apoio dos Correios, da CBDA e do nosso clube. Vamos trabalhar mais para o Brandonn continuar crescendo e vencendo seus próximos desafios.

Para marcar o excelente desempenho dos brasileiros na competição, Felipe Souza faturou a medalha de bronze, nos 100m livre, com 49s30, a primeira medalha dos 100m livre para o Brasil, em cinco edições da competição. Pedro Spajari, nadando na raia quatro, veio na sequência e com 49s56, garantiu o quarto lugar da prova.

- Estou feliz pela medalha. Sabíamos que ia ser difícil e eu não melhorei meu tempo. Mas, ser medalhista mundial é uma coisa nova para mim, e a primeira vez a gente nunca esquece. Essa sensação é muito incrível e o que sinto é felicidade. Tivemos uma reunião no primeiro dia e tínhamos que falar uma palavra com a letra inicial do seu nome e a minha foi felicidade. Estou emocionado, mas queria mais – comentou Felipe Souza.

Na briga para fazer parte do time Olímpico do Brasil para 2016, Felipe Souza, espera melhorar sua marca no Torneio Maria Lenk, no ano que vem, uma das seletivas olímpicas da natação, e conquistar uma vaga para os Jogos do Rio.

- Eu quero estar nas Olimpíadas, não só no revezamento (4x100m livre), mas vou brigar para entrar na prova individual. Acho que tenho condições de, no Torneio Maria Lenk, estar nadando para o índice. Não é uma tarefa impossível e eu vou atrás disso. Tudo que estamos passando será importante no futuro, e o futuro é a seletiva Olímpica. Todas as seleções que participei foram importantes para eu estar aqui e reconheço a importância do apoio para a nossa modalidade. Agradeço também aos meus pais e também ao meu técnico, Marcio Latuf, que sempre acreditou em mim. Sei que ele está feliz com a minha medalha e mais ainda por saber que posso melhorar – completou Felipe Souza.

No revezamento 4x100m medley, entre os homens, Guilherme Basseto, Eduardo Amaral, Vinicius Lanza e Pedro Spajari, com 3m42s78, ficaram na quarta colocação, na última final brasilera do Mundial de Cingapura. Pedro Spajari não conseguiu repetir o tempo feito nas semifinais e, com 49s56, levou o Brasil a quarta colocação, também nos 100m livre. Ainda nesta noite, Pedro fechou o revezamento 4x100m Medley.

- Essa foi a melhor competição da minha vida. Melhorei muito meus tempos e estou cada vez mais forte para buscar uma vaga nos Jogos Olímpicos de 2016. O resultado nos 100m não foi o que eu podia, mas eu estou muito feliz com o meu desempenho. A estrutura que temos aqui é espetacular. Foi uma honra fazer parte deste time vencedor e eu quero sempre estar entre os melhores. Temos toda uma estrutura voltada para nós e tenho muito a agradecer a todos. Minha mãe veio de São Paulo para me dar mais força e sentia que todo o país estava aqui, com a gente. Agora é voltar para casa, trabalhar e cada vez mais acreditar no sonho de estar na Olimpíada – comentou Pedro Spajari.

Na decisão dos 200m livre feminino, Rafaela Raurich fez 2m01s89 e ficou na oitava colocação. A nadadora de 14 anos, com idade para disputar a próxima competição junior, nadou a única final feminina brasileira desta edição.

O Brasil fecha o 5º Mundial Junior de Natação com quatro medalhas, em quinze finais disputadas, e a certeza de ter um trabalho forte também nas categorias de base da modalidade. Hoje, esses jovens talentos são motivados pelo sonho olímpico. Como ressaltou o diretor geral da CBDA, Ricardo Moura, “as vagas ainda estão em aberto e os novos resultados vem engrandecer as seletivas, para compor a seleção adulta”. Ele ainda destacou o trabalho em conjunto, coroando os esforços dos atletas, envolvendo treinadores, clubes, federações, patrocinadores e o empenho da confederação em manter esses jovens participando de todas as grandes competições mundiais.

DIA 5: BRANDONN ALMEIDA É PRATA NOS 400m MEDLEY EM SINGAPURA

29/08/2015 – Fonte: CBDA - A segunda medalha do Brasil no 5º Mundial Junior de Natação veio na noite deste sábado (29), com Brandonn Almeida, prata nos 400m medley, prova em que é o atual recordista mundial da categoria. Confirmando que veio para ficar na elite da natação brasileira, Brandonn fez 4m16s06 na decisão e ficou atrás somente do norte americano, Sean Grieshop (4m15s67). Com este resultado o Brasil conquista a sua segunda medalha da competição e soma a 11ª na história do Campeonato Mundial Junior. Ainda na noite da quinta etapa em Cingapura, Pedro Spajari registrou a nova melhor marca do campeonato, na eliminatória dos 100m livre.

- A prova foi muito dura e como sabemos, tinha os melhores do mundo. Eu esperava ganhar uma medalha de outra cor, mas saio feliz em conquistar esta medalha. Há dois anos atrás eu nadei esta competição como um dos novatos e fiquei na nona colocação desta prova. Agora estou de volta e saio com uma medalha. Trabalhamos muito para isto acontecer e este resultado só vem provar que não foi em vão – comentou Brandonn.

A última manhã de competição no OCBD Aquatics Centre, em Cingapura, terá Brandoon Almeida de volta à piscina para nadar a série forte dos 1500m livre.

- Amanhã vai ser outra prova difícil, mas a gente tem mais uma chance de brigar por um pódio. Vou vir com tudo para representar o Brasil da melhor forma possível. Eu me cobro muito e vou sempre querer fazer o meu melhor. É muito bom fazer parte do grupo de medalhistas do Brasil – finalizou Brandonn.

Carlos Matheus, treinador da seleção brasileira em Cingapura e treinador de Brandonn no Corinthians, comentou a competição do nadador.

- Nós estamos vindo de um excelente resultado no Pan, que também foi uma forte competição. O Brandonn nadou muito bem e conquistou uma excelente colocação. Temos que valorizar esta medalha, porque chegar aqui e ficar entres os três melhores do mundo é um conquista muito importante para a carreira desses atletas. Amanhã teremos mais uma prova forte e com certeza o Brandonn vai fazer o melhor para representar bem o país – analisou Carlos Matheus.

Na primeira semifinal da noite, dois brasileiros buscavam uma vaga para disputar a final dos 100m metros. Pedro Spajari, com 48s87, não só alcançou o direito de nadar a final, como registrou o novo recorde do campeonato mundial junior. Felipe Souza melhorou a marca das eliminatórias e garantiu sua raia na decisão de amanhã.

- Estava com sintomas de gripe e não me senti tão bem antes da prova, tanto que achei que não conseguiria ganhar a série, mas foi um espetáculo. Agora, é partir para a final e tentar melhorar esse tempo. Não tenho como descrever o que sinto, mas sei que tenho muito que agradecer ao meu técnico Tiago (que está em Cingapura), a todos da seleção, e a comissão técnica, que trabalha com a gente no Pinheiros todos os dias. Sem eles eu não estaria aqui – comentou emocionado, Pedro Spajari.

Felipe Souza, com 49s62, ficou na quarta colocação e vai para a final nadar na raia seis. Felipe nadou a segunda série semifinal. Com o astral confiante de um velocista, Felipe analisou sua prova como não tão boa, mas que lhe dá confiança para melhorar.

- Tentei passar mais forte do que de manhã, mas esperava fazer um tempo mais baixo. Amanhã vou para a final confiante e sei que tenho que fazer um tempo melhor – comentou Felipe Souza.

Com este resultado o Brasil têm os três recordes mundiais, em atividade, com Cesar Cielo (46s91), no absoluto, do Mundial de Roma, em 2009; Matheus Santana (48s25), recorde da categoria junior, feito nas Olímpiadas da Juventude, em Nanquim, 2014; Pedro Spajari (48s87) recordista do campeonato mundial junior. Com estes tempos, hoje os atletas do junior entraram de vez na briga para fazer parte do revezamento 4x100m livre, nos Jogos do Rio 2016.

Na final dos 50m borboleta, Vinicius Lanza terminou com a oitava colocação. Nadando na raia oito, o mineiro completou a prova em 24s57. Lanza volta a nadar nesta última etapa, no revezamento 4x100m medley. O vencedor foi Andrii Khloptsov, da Ucrânia, com 23s64.

- Senti bastante a prova, faltou um pouco de força. Nadei mais na raça mesmo. Mas sei que estou entre os oito melhores do mundo e a gente não pode achar isso ruim. Nos 100m livre eu já mostrei que estou bem, a 'galera' tem um respeito maior, porque a gente adquiriu isso e vamos usar para o reve de amanhã – comentou Vinicius Lanza.

Rafaela Raurich, Gabrielle Roncatto, Sarah Marques e Maria Paula Heitmann fizeram 3m45s93 e ficaram na sétima colocação da decisão entre revezamentos do 4x100m livre. As meninas do Brasil levaram a seleção de volta para esta final, depois de ter ficado fora em Dubai, na edição de 2013. A Austrália venceu a prova com 3m39s87, obtendo mais um recorde mundial junior para o país.

- Queria ter a chance de nadar, mais uma vez. Pela manhã não fui tão bem, na minha maratona (Sarah nadou três provas eliminatórias). Senti bastante a volta da prova, mas passei bem forte os primeiros 50. O mais importante aqui foi ganhar a experiência de estarmos na final do campeonato mundial e sempre nadar o máximo – comentou Sarah Marques.

Mariana Paula Heitmann fechou o revezamento brasileiro, depois de ter nadado a semifinal dos 50m livre. Na prova individual, a atleta mineira ficou na 15ª colocação, com 26s10. Maria Paula melhorou suas marcas em todas as vezes que nadou.

- Estou feliz por ter melhorado meu tempo, mas sinto que poderia ter feito um pouco melhor. Dei uma braçada a mais e não fiz uma boa chegada, mas faz parte. Só quem está aqui sabe que isso acontece. O reve também foi bom. Estar entre as oito melhoras seleções do mundo é muito bom – comentou Maria Paula.

Mais cedo, nas eliminatórias, Eduardo Amaral marcou 29s77 nos 50m peito e ficou na 27ª colocação. E, nos 400m medley, Caio Pumputis ficou na 23ª posição, com 4m34s59. 

Resultados – 5º dia
1500m Livre Fem – 1) Simona Quadarella – ITA – 16m05s61 – RMJ / 2) Sierra Schmidt – USA – 16m12s84 / 3) Gabrielle Kopenski – 16m21s15
Semifinal 100m Livre Masc – 1) Pedro Spajari – Brasil – 48s87 – Recorde do Campeonato Mundial Junior / 4) Felipe Souza – 49s62
Semifinal 100m Borboleta Fem – Sem brasileiras
50m Borboleta Masc – 1) Andrii Khloptsov – UKR – 23s64 / 2) Michael Andrew – USA – 23s84 / 3) Daniil Pakhomov – RUS – 23s89 / 8) Vinicius Lanza – Brasil – 24s57 
Semifinal 50m Livre Fem – 15) Maria Paula Heitmann – Brasil - 2610
Semifinal 50m Peito Masc – Sem brasileiros
50m Costas Fem – Gabrielle Fa’Amausili – NZL – 27s81 – RMJ / 2) Minna Atherton – AUS – 27s83/ 3) Danielle Hanus – CAN – 28s26
400m Medley Masc – 1) Sean Grieshop – USA – 4m15s67 / 2) Brandonn Almeida – Brasil - 4m17s06 / 3) Hugo Gonzalez – ESP – 4m18s14
4x100m Livre F – 1) Austrália – 3m39s87 – RMJ / 2) Rússia – 3m39s91 / 3) Canadá – 3m40s26 / 7) Brasil - Rafaela Raurich, Gabrielle Roncatto, Sarah Marques e Maria Paula Heitmann – 3m46s93

Foto: Brandonn Almeida. Crédito: CBDA/divulgação

DIA 4: VINICIUS LANZA ESTÁ EM MAIS UMA FINAL

28/08/2015 - Fonte: CBDA - O quarto dia de finais do 5º Mundial Junior de Natação trouxe ao OCBD Aquatics Centre, em Cingapura, muitas emoções na noite desta sexta-feira, 28/08 (manhã do dia 28, no Brasil). Isto porque, seis das oito finais disputadas tiveram novos recordes mundiais da categoria. Se já não bastasse, a vaga na decisão dos 50m borboleta, conquistada por Vinicius Lanza, veio no desempate da prova. Na final dos 50m livre, também masculino, Felipe Ribeiro Souza e Pedro Spajari, conquistaram a 4ª e 5ª colocações, respectivamente. 

Nas semifinais dos 50m borboleta, em mais um momento que faz da natação um dos esportes mais emocionantes e mais praticados no mundo, o brasileiro Vinicius Lanza; Pawel Sendyk, da Polônia; e Brayden McCarthy, da Austrália, fizeram 24s38 e empataram na oitava posição. Ao disputar o desempate, Vinicius nadou para 24s06 garantiu sua raia na decisão, a segunda na competição.

O brasileiro, que na última noite ficou com a medalha de prata nos 100m borboleta, terá mais uma chance de conquistar mais um pódio para o país. No final da prova de desempate, Vinicius brincou - “Se eu tivesse nadado assim na prova nem ia precisar de desempate”.

- Brasileiro é assim, não foge da luta! Essa foi a prova mais legal que eu já nadei, Gosto de desafios. Sabia que eles sairiam melhor que eu, mas na nadada eu consegui buscar e bater na frente. Agora me animo mais para nadar a final de amanhã e vamos ver o que acontece. Sempre vi provas de desempate, mas nunca tinha nadado. Curti o desafio, ainda mais por ser com três nadadores. Usei todos os artifícios que eu podia para esta prova e tentei abalar o psicológico deles, ainda bem que deu certo. Senti a energia da torcida de cada um na arquibancada e isso mexe com a gente, não podia ser diferente – completou Vinicius Lanza.

Confirmando o nascimento de mais uma geração de velocistas brasileiros, Felipe Ribeiro Souza (22s58) e Pedro Spajari (22s59), disputaram a final dos 50m livre, e com seus melhores resultados, levaram o país a quarta e quinta colocações. À uma posição do pódio, Felipe nadou hoje sua segunda final individual na competição. O nadador já tinha conquistado a sétima colocação dos 200m livre.

- Estou feliz em baixar meu tempo, mas acho que isso já era o esperado. O quarto lugar não me agradou. Queria sair da competição com um pódio dos 50m livre, porque a dos 100m (livre) eu vou buscar também. O resultado só me dá mais animo para nadar amanhã. Agora, vou com tudo para o “reve”, como sempre faço – comentou Felipe Souza, que mais tarde fez parte do time do 4x200m livre.

Pedro Spajari, nadando na raia oito, melhorou seu tempo na prova e se garantiu como o quinto nadador mais rápido da decisão. A prova foi vencida pelo australiano, Kyle Chalmers (22s19). O norte americano, Michael Andrew (22s36) ficou com a prata, depois da conquista do ouro dos 50m costas, alguns minutos antes. O bronze ficou com Giovanni Izzo (22s55), da Itália.

- Foi muito bom nadar esta final. Senti que tive um bom início de prova, mas acho que cansei um pouco no final. Nadei seguro e feliz, porque sabia que o meu resultado sairia bom. Consegui baixar bastante o meu tempo e agora é concentrar e vir forte, em busca de um pódio nos 100m livre - analisou Pedro Spajari.

O revezamento 4x200m livre masculino do Brasil contou com Giovanny Lima, Felipe Souza, Nathan Bighetti e Victor Furtado, mas foi desqualificado da disputa após a entrada do quarto nadador. A prova teve o quarteto dos Estados Unidos vencedor (7m13s76), registrando o novo recorde da disputa.

Mais cedo, nas eliminatórias, Victor Santos não conseguiu alcançar sua melhor marca e se juntar a Vinicius Lanza nas semifinais dos 50m borboleta masculino, somou 25s20 e terminou no 27º lugar. Nos 50m costas feminino, o recorde de campeonato foi superado duas vezes, ratificando mais uma vez o forte nível da competição. Maria Luiza Pessanha, única representante brasileira na prova, fez 29s95, superou seu melhor tempo até então (30s58) e ficou na 19ª posição, entre 63 nadadoras. 

- Consegui quebrar a barreira dos 30 segundos, o que foi muito bom. Estava confiante e fiz uma boa prova. É muito bom estar aqui e ver o nível profissional e as formas que ainda tenho que melhorar. Com certeza quero continuar treinando forte para daqui a dois anos voltar ao Mundial e competir de igual para igual com todo mundo – analisou Maria Luiza Pessanha, de 15 anos. Maria Luiza tem idade para disputar a próxima competição junior, em 2017, que ainda não tem sede definida pela FINA.

Nos 400m livre, Rafaela Raurich nadou para o seu melhor tempo da prova e com 4m18s49 ficou em 18ª. A nadadora mais nova da delegação brasileira está encarando a competição como positiva, mas ainda quer mais.

- Fiz a minha melhor marca, mais esperava fazer melhor ainda. As minhas provas têm nadadoras muito boas, mas isso só me motiva a treinar mais para no próximo mundial eu chegar melhor e poder brigar por medalhas também – disse Rafaela, de 14 anos.

Caio Pumpuitis (1m17s45) e Eduardo Amaral (2m18s13) nadaram a fase classificatória dos 200m peito e ficaram fora da final, na 15ª e 17ª colocações, respectivamente. A prova segue para final direta, mas com 2m10s73, o russo, Anton Chupkov, registrou a nova melhor marca.

Nos 200m medley, Gabrielle Roncatto fez 2m20s05 e ficou na 21 colocação.

Nas eliminatórias do quinto dia, a partir das 23h, no horário de Brasília, nove atletas representarão o Brasil, em busca de seus melhores resultados. Entre eles, Brandonn Almeida, nos 400m medley, prova na qual é o atual recordista da categoria, com 4m14s47. Pedro Spajari e Felipe Souza também voltarão ao parque aquático, para a primeira fase dos 100m livre. Felipe Souza, com o segundo melhor de tempo de inscrição da prova, é um dos favoritos para figurar entre os finalistas. Pedro Spajari, realizando ótima campanha na competição, também não fica para trás e a briga, para passar de fase, promete ser boa.

DIA 3: VINICIUS LANZA É PRATA NOS 100M BORBOLETA NO MUNDIAL JUNIOR

27/08/2015 – Fonte: CBDA  A seleção brasileira de Natação conquistou na noite desta quinta-feira, (27), a décima medalha na história dos Campeonatos Mundiais Junior da FINA. Logo na primeira final brasileira da noite, Vinícius Lanza, nos 100m borboleta, com 52s88, garantiu o Brasil no pódio da prova pela terceira vez consecutiva. Em 2011, em Lima, Arthur Mendes Filho conquistou o bronze e em 2013, na edição de Dubai, Pedro Vieira, também garantiu uma prata para o país. Esta foi a primeira medalha brasileira na competição de Cingapura. O Brasil ainda garantiu o quarto lugar com o revezamento 4x100m livre misto e a quinta posição nos 800m livre, com Brandonn Almeida.  A competição, que termina no domingo (30), reúne 87 países, 300 nadadores de 14 a 18 anos, e está sendo disputada na OCBC Aquatics Centre, em Cingapura.
- Eu ainda não sei descrever o que estou sentindo, mas é muito bom. No final, já estava com o corpo pesado, mas o apoio de todos e a minha vontade falaram mais alto. Fui todo coração e só pensava em chegar na frente. Sabia que a prova seria dura. Mas, vim para a final pensando em fazer o meu melhor e que, para me vencer, os demais teriam que nadar muito. O russo, realmente, é muito forte, mas estou muito feliz com a prata. Há três anos, eu nunca me imaginaria aqui, mas com o apoio dos que estão do meu lado, com superação e muita dedicação, eu consegui – comentou o emocionado Vinícius Lanza.

Vinícius Lanza, de 18 anos, é mineiro, e ainda emocionado, comentou sobre seu início precoce na natação, com dois anos de idade, as mudanças na carreira e suas inspirações:
- Minha família, principalmente meu pai, gosta muito de pescaria e acho que, por medo, me colocaram logo na natação, que bom! Eu estive sempre acompanhando as medalhas do Arthur Mendes (em Lima/2011) e do Pedro em Dubai (2013). Lembro de ver as fotos deles, me inspirar e hoje estou aqui. Estou treinando com a Adriana Mitidieri, que está aqui e com certeza me ajudou muito, desde meus nove anos e há dois com o Scott (Volkers, australiano) e, com certeza, divido esta medalha com eles. Ano passado, tive que mudar de escola, passar para o turno da noite para me dedicar aos treinos, mas meus treinadores acreditaram no meu potencial e a minha família me apoiou.
Adriana Mitidieri, técnica da seleção em Cingapura e uma das treinadoras do Vinícius Lanza, no Minas Tênis Clube, comentou a importância da conquista do Brasil.
- Quando acabou a prova nos abraçamos e choramos juntos, porque essa conquista coroa anos de trabalho e dedicação. Quando conquistamos o nosso objetivo passa um filme na cabeça e faz a gente ter certeza que fez as escolhas certas – disse Adriana
 O gerente de natação e superintendente executivo da CBDA, Ricardo de Moura, ressaltou a importância da conquista de mais uma medalha mundial brasileira no ano e seus bons resultados, visando a classificação para os Jogos Olímpicos do Rio 2016.
–  Esta é uma conquista muito importante para a natação brasileira. O resultado não deve ser visto como algo isolado e sim, como mais um importante passo dado por esses novos nadadores, em busca do sonho Olímpico, sempre seguindo trabalhando. As vagas ainda estão em aberto e os novos resultados vem engrandecer as seletivas, para compor a seleção adulta. Uma medalha não se constrói de um dia para o outro. Envolve todo um projeto e trabalho em conjunto. O resultado, conquistado, na competição junior, como nível mais alto, vem coroar o esforço do atleta, mas também dos treinadores, do clube, da federação, dos patrocinadores e todos que apoiam a modalidade brasileira. A equipe que está em Cingapura está de parabéns. Eles são 'a cara' da renovação e mesmo que não saiam campeões, certamente estarão representando o Brasil nas grandes competições, se não em 2016, nos Jogos Olímpicos de 2020 e 2024. Hoje, devido à situação financeira do país, e do mundo, é um desafio cada vez maior manter as ações exponenciais das modalidades, mas com o apoio dos patrocinadores estamos realizando os projetos – completou Ricardo de Moura.
Ainda nos 100m borboleta, Henrique Painhas, registrou sua melhor marca na prova, com 53s44 e ficou na sexta colocação. O russo, Daniil Pakhomov, conquistou a medalha de ouro com o novo recorde mundial junior da prova, 52s28. O bronze ficou com um russo, Daniil Antipov, 52s99.
A natação brasileira iniciou mais um novo capítulo em mundiais junior, com a conquista do quinto lugar, dos 800m livre, por Brandonn Almeida. O nadador fez sua melhor marca, fechou a prova em 7m59s49 e garantiu a melhor colocação brasileira, em cinco edições disputadas. A melhor marca, até então, também era de Brandonn, com o décimo lugar na edição de Dubai, 2013.
- Foi bom por ser a primeira prova na competição. Fiz a minha melhor marca, mas me cobro muito e queria estar entre os três primeiros. O saldo é positivo como preparação, porque ainda vou nadar minhas melhores provas – analisou Brandonn, que competirá as eliminatórias dos 400m medley, prova que é recordista mundial, no dia 29 e os 1500m livre, no dia 30.
As emoções da terceira etapa seguiram fortes até o final. A última prova, revezamento 4x100m livre misto, contou com muitas alternâncias de posições e animou a arquibancada. O time do Brasil, com Pedro Spajari, Felipe Souza, Gabrielle Roncatto e Maria Paula Heitmann, somou 3m29s92, melhorando o tempo da eliminatória, e ficou na quarta colocação.
- Essa prova foi muito emocionante. O time todo estava focado para o revezamento, inclusivo quem não nadou, e todos nós demos o nosso melhor – comentou Gabrielle Roncatto. Gabi disputou a prova final, no lugar de Rafaela Raurich que nadou nas eliminatórias.
Abrindo a histórica noite brasileira, Felipe Souza (22s67) e Pedro Spajari (22s76) se classificaram para a final dos 50m livre, com o quarto e oitavo tempos, respectivamente. Felipe nadou a primeira série, fez sua melhor marca e saiu satisfeito.
 - Fui bem melhor que de manhã e consegui baixar um centésimo da minha melhor marca. Agora vamos analisar o que podemos melhorar, porque amanha vou brigar por uma medalha. A sensação de estar na final é ótima, ainda mais com outro brasileiro. Sinto que o país está bem representado – Felipe Souza
Já Pedro Spajari piorou a marca feita pela manha (22s67), mas garantiu a última vaga da decisão desta sexta-feira.
- Cometi alguns erros e acho que aumentei a frequência e acabei puxando menos água. Mas agora vai ser final e é tudo diferente. Todos da raia um à oito têm uma chance e vamos com tudo – Pedro Spajari.
Na semifinal dos 50m costas, Guilherme Basseto, com 25s99, ficou na nona colocação, a uma vaga da decisão.

Mais cedo, nas eliminatórias, Nathan Biguetti ficou na 24ª colocação dos 50m costas, com 26s86. Nos 50m borboleta, Sarah Marques nadou em 28s41 e ficou em 26º lugar.

- Eu fiz aqui meu melhor tempo do ano, mas não consegui nadar para a minha melhor marca. O nado ainda não está encaixando bem, mas tenho que continuar melhorando para voltar a nadar para o meu melhor – comentou Sarah Marques.

Nos 100m peito, Gabrielle Roncatto fez 1m13s19 e ficou na 27ª colocação. Gabi que ainda vai nadar os 200m medley, optou por participar dos 100m peito como preparação da prova por estilos. Maria Luiza Pessanha disputou a fase classificatória dos 200m costas e, com 2m22s09, ficou na 32ª posição.

Resultados – 3º dia
Semifinal – 50m Borboleta Fem  - Sem brasileiros
Semifinal - 50m Livre Masc  - 4) Felipe Souza - 22s67 / 8) Pedro Spajari - 22s76
200m Costas Fem – Minna Athertom – AUS – 2m09s11 – Recorde Mundial Junior / 2) Liu Yaxin – CHN – 2m09s44 / 3) Taylor Ruck – CAN – 2m09s49
100m Borboleta Masc – 1) Daniil Pakhomovo – RUS – 52s28 – Recorde Mundial Junior / 2) Vinícius Lanza – Brasil – 52s88 / 3) Daniil Antipo – RUS – 52s99
Semifinal - 100m Peito Fem – Sem brasileiras
Semifinal - 50m Costas Masc – 9) Guilherme Basseto – 25s99
100m Livre Fem – 1) Taylor Ruck – CAN – 53s92 – Recorde Mundial Junior / 2) Penny Oleksiak – CAN – 54s65 / 3) Arina Openysheva – RUS – 54s78
800m Livre Masc – 5) - Brandonn Almeida – 7m59s49
4x100m livre Misto – Alemanha – 3m34s30 / 2) Austrália – 3m28s59 / 3) Canada – 3m27s71 / 4) Brasil (Pedro Spajari, Felipe Souza, Gabrielle Roncatto e Maria Paula Heitmann) - 3m29s92

Foto: Vinicius Lanza. Crédito: CBDA/divulgação

DIA 2: VINICIUS LANZA E HENRIQUE PAINHAS ESTÃO NA FINAL DOS 100M BORBOLETA NO MUNDIAL JUNIOR

26/08/2015 – Fonte: CBDA  - A terceira etapa ainda não teve início, mas já conta com dois brasileiros na final de amanhã. Isto porque, Vinicius Lanza e Henrique Painhas nadaram juntos a primeira serie semifinal dos 100m borboleta, e alcançaram o segundo e sétimo melhores tempos para o Brasil, na segunda noite do Campeonato Mundial Junior de Natação. Ainda na noite desta quarta-feira (manhã no Brasil), dia 26, o time brasileiro conquistou o sétimo lugar nos 100m livre, com Felipe Souza e a oitava colocação na final do revezamento 4x100m medley misto.

Na semifinal onde o russo Daniil Pakhomov, com 52s40, marcou o novo recorde mundial junior, o mineiro Vinicius Lanza, com 52s81, passou para a decisão com a segunda melhor marca. Vinicius alcançou a melhor marca pessoal e passou para a final confiante.

- Estou muito feliz por ter conseguido, enfim, quebrar a barreira dos 53 (segundos), e vou nadar amanhã junto com o Henrique. Ter dois brasileiros em uma final é muito bom. Tive um probleminha na largada e saí meio corpo atrás do nadador do meu lado, mas consegui manter o controle e fazer minha prova. O russo é muito rápido, mas eu estou na briga, quero ‘beliscar’ uma medalha e vamos “pra cima” – disse Vinicius.

Henrique Painhas, em seu segundo mundial junior, baixou seu melhor tempo e, ao registrar 53s52, passou para a decisão, na sétima colocação.

- No último mundial (Dubai/2013) fiquei a uma posição da semi, mas hoje dei a volta por cima, fiz meu melhor tempo e estou muito feliz. Sabia que tinha que melhorar e antes de nadar conversamos com o biomecânico para ver o que podia fazer e à tarde mantive o foco nas orientações e vim forte. Sei que ainda tenho alguns detalhes para acertar na final de amanhã – analisou Henrique Painhas.

Na primeira final brasileira da noite, 200m livre, Felipe Ribeiro Souza fez 1m50s17, melhorou seu tempo, e ficou na sétima posição. A prova foi vencida por Maxime Rooney, dos Estados Unidos, com o tempo de 1m47s78.

- Nadei bem melhor que de manhã, consegui baixar meu tempo e saio satisfeito. Acho que passei muito forte e no final da prova foi difícil manter o ritmo. Gostei da minha saída e isso me deixa mais confiante para nadar os 50 (metros livre) – analisou Felipe Souza, que nada as eliminatórias, da prova mais rápida da natação, na manhã desta terceira etapa.

Ainda na noite desta terça-feira, a brasileira Gabrielle Roncatto disputou a semifinal dos 100m livre. Com 56s36, Gabi melhorou o tempo feito pela manhã (56s64), mas não foi o suficiente para passar à próxima fase. A atleta ficou na 16ª posição e já se prepara para as eliminatórias dos 100m peito, amanhã pela manhã.

- Consegui melhorar o tempo da manhã, mas queria ter feito um tempo ainda melhor. Senti o cansaço, mas agora vou me preparar para seguir melhorando na competição – comentou Gabrielle Roncatto, que mais tarde, juntamente com Guilherme Basseto, Eduardo Amaral e Sarah Marques, fez parte do quarteto misto do Brasil, na final do revezamento 4 x100m medley. Com 4m01s58, ficaram na 8ª posição.

Mais cedo, nas eliminatórias, em uma série com provas muito disputadas, os 200m livre masculino teve, além do finalista Felipe Souza, Victor Furtado que, com 1m54s40, ficou na 16ª posição.

Nos 100m livre feminino, Sarah Marques, com 56s71, por pouco não se juntou à Gabrielle Roncatto na semifinal.Ela ficou na 18ª posição.

- Queria ter pego uma semifinal para tentar mais uma vez, mas agora vou focar nas próximas provas. A competição é muito forte, com muitos atletas e era o que eu esperava. O clima do Brasil está muito bom e acho que ainda vamos ter bons resultados – analisou Sarah Marques.

Na primeira prova da manhã, 200m medley, Caio Pumputis ficou com a 12ª colocação, com o tempo de 2m03s67, alcançando sua melhor marca. Paulista, de 16 anos, Caio é o atleta mais novo do masculino, começou na natação aos cinco anos e tem como ídolo no esporte o norte-americano Michael Phelps.

- Tudo aqui é válido como experiência. Saí da piscina sabendo que fiz o meu melhor. Queria baixar um pouco mais o tempo, mas sabia que seria difícil conseguir uma vaga na final. Este é meu primeiro mundial e é muito importante acompanhar o nível, mas eu quero mais – comentou Caio Pumputis.

Nos 200m borboleta, Maria Luiza Pessanha, ficou na 24ª posição. A nadadora ainda competirá nas provas de 50m e 200m costas.

Nos 800m livre feminino, última prova da manhã, Luisa Braga fez 9m02s65, registrando sua melhor marca. Luisa ficou na 20ª colocação, após os resultados das séries fracas. A noite será disputada mais uma bateria dos 800m livre, chamada série forte, por conter os oito melhores tempos de balizamento.

Nas eliminatórias do terceiro dia, o Brasil terá representantes nas sete provas disputadas. Um dos novos destaques da natação brasileira, Brandonn Almeida, fará sua estreia nesta quinta-feira, porém, não será pela manhã. O nadador, que entrou na competição com o segundo melhor tempo de balizamento dos 800m livre, nadará a série forte da prova, disputada à noite.

Resultados – 2º dia
100 Costas M – 1) Robert Glinta – ROU – 54s30 – RMJ / 2) Michael Taylor – USA – 54s64 / 3) Like Greenbank – GBR – 54s81
200m Borboleta F – 1) Wang Siqi – CHN – 2m08s24 / 2) Tamsin Cook – AUS – 2m08s86 / 3) Hannah Kukurugya – USA – 2m10s08
200m Livre M – 1) Maxime Rooney – USA – 1m47s78 / 2) Grant Shoults – USA – 1m48s42 / 3) Ernest Maksumov – RUS – 1m48s68 / 7) Felipe Souza – Brasil - 1m50s17
50m Peito F – 1) Viktoria Gunes – TUR – 30s78 / 2) Sophie Hansson – SWE – 31s18 / 3) Katie Matts – GBR – 31s66 
Semifinal – 100m Borboleta M – 2) Vinicius Lanza – 52s81 / 7) Henrique Painhas – 53s52Semifinal – 100m Livre F – 16) Gabrielle Roncatto – 56s36
100m Peito M – 1) Anton Chupkov – RUS – 1m00s19 / 2) Reece Whitley – USA – 1m01s00 / 3) Andrius Sidlauskas – LTU – 1m01s26
100m Costas F – 1) Minna Atherton – AUS – 59s58 – RMJ / 2) Claire Adams – USA – 1m00s19 / 3) Bobbi Gichard – NZL – 1m00s42
200m Medley M – 1) Clyde Lewis – AUS – 2m00s15 / 2) Daniel Sos – HUN – 2m01s78 / 3) Sean Grieshop – USA – 2m01s78
800m Livre F – 1) Sierra Schmidt – USA – 8m27s55 – RMJ / 2) Simona Quafarella – ITA – 8m29s79 / 3) Holly Hibbott – GBR – 8m31s56 / 28) Luisa Braga – 9m02s65
4x100m Medley Misto – 1) Russia – 3m53s18 – RMJ / 2) Austrália – 3m48s27 / 3) Estados Unidos – 3m50s24 / 8) Brasil – Guilherme Basseto, Eduardo Amaral, Sarah Marques e Gabrielle Roncatto – 4m01s58 

Foto: Lanza (esq) e Painhas (dir) vibram com a passagem à final. Crédito: CBDA/divulgação

DIA 1: REVEZAMENTO 4x100m DO BRASIL É O 4o NO PRIMEIRO DIA DO MUNDIAL JUNIOR

25/08/2015 – Fonte: CBDA – Na manhã desta terça-feira, dia 25/08, Felipe Souza, Victor Furtado, Victor Santos e Pedro Spajari levaram o revezamento 4x100m livre do Brasil ao 4º lugar, no primeiro dia do Campeonato Mundial Junior FINA de Natação. A noite de decisões no OCBC Aquatic Centre, em Cingapura, ainda teve o brasileiro Guilherme Basseto, na semifinal dos 100m costas. A competição está sendo transmitida pela FINA Tv.

Melhorando o tempo feito na eliminatória (3m19s35), o quarteto brasileiro fez 3m18s92 e ficou a uma posição do pódio mundial. A Austrália venceu a prova, tendo Estados Unidos e Itália na sequência.

- Todos nadaram muito bem, sem exceção e estamos de parabéns. Meu tempo foi bom, não o meu melhor, mas bom e a única coisa ruim da prova foi o quarto lugar – comentou Felipe Souza.

Felipe Souza e Pedro Spajari trocaram de posição para a etapa decisiva. Felipe, que tinha encerrado a prova pela manhã, a noite foi o primeiro a cair na agua e fez 49s37.

Na primeira semifinal brasileira na competição, Guilherme Basseto fez 56s00 e ficou na 15ª colocação. O nadador de 18 anos, nascido em Ribeirão Preto, disputa em Cingapura sua primeira competição internacional.

- Passei os primeiros 50 em um ritmo mais forte e a volta não foi tão boa, senti o esforço no final. Essa foi a minha primeira prova em competições internacionais. Queria muito ter ido para a final, mas não deu, então vamos para a próxima – disse.

Guilherme irá nadar a fase classificatória dos 50m, sua prova preferida, na terceira etapa.

Mais cedo, nas eliminatórias, Nathan Biguetti ficou em 26º nos 100m costas, com 57s00.

- Fiz uma boa prova. Tivemos a estratégia de passar mais tranquilo e voltar acelerando, deu certo. Os tempos estão fortes e para chegar a final tenho que nadar meu máximo e baixar bastante – analisou Guilherme Basseto.

Na primeira prova da manhã, Guilherme Costa, nadou na sexta série classificatória, registrou seu melhor tempo, 3m56s29, e ficou na 15ª colocação. Guilherme nadará os 1500m livre, sua prova principal, no último dia de competição.

- Foi bom. A piscina é ótima e para a primeira nadada estou feliz. Consegui nadar bem. Acho que poderia ser mais rápido, mas passei muito forte – comentou Guilherme Costa, de 16 anos.

Na última disputa desta manhã, o revezamento 4x200m livre feminino, as brasileiras ficaram com o nono lugar. Maria Paula Heitmann, Rafaela Raurich, Gabrielle Roncatto e Luisa Braga fecharam a prova em 8m12s30. Rafela Raurich e Gabrielle Roncatto nadarão a versão individual dos 200m livre, também no último dia do Mundial.

- Conseguimos nadar bem. Eu fiz a minha melhor marca, estou feliz. Foi uma boa estreia para nós – comentou Rafaela Raurich, de 14 anos, nadadora mais nova da delegação. 

Nos 100m peito os brasileiros Eduardo Amaral e Caio Pumputis ficaram com a 19ª e 22ª colocações, com 1m03s86 e 1m04s51, respectivamente. Confirmando os fortes tempos esperados para a competição, veio desta prova o primeiro recorde mundial junior superado, com o russo Anton Chupkov, com 1m00s12.

Maria Luiza Pessanha, nos 100m costas, fez a primeira participação feminina do time brasileiro. A atleta carioca  nadou em 1m05s51 e ficou na 30ª posição. Ainda nas eliminatória do primeiro dia, a australiana Minna Atherton, com 59s83, registrou a nova melhor marca junior da prova.

NOVA GERAÇÃO SE PREPARA PARA A DISPUTA DO MUNDIAL JUNIOR DE NATAÇÃO, EM SINGAPURA

22/08/2015 – Fonte: CBDA A seleção brasileira junior de Natação está acertando os detalhes para a estreia no 5º Mundial Junior FINA da modalidade. A competição só terá início na terça-feira, dia 25/08, mas o clima já é de concentração total. Com treinamentos em dois períodos, os 20 nadadores do Brasil seguem firmes na busca de seus melhores resultados pessoais. Reunindo atletas de 15 a 18 anos, entre os homens, e 14 a 17, no feminino, os objetivos traçados são diferentes, mas a vontade de representar bem o país é unanimidade na delegação.

Rafaela Raurich, de 14 anos, a atleta mais nova da delegação, vai disputar provas de nado livre, nos 200 e 400 metros. Em uma das provas, os 200 livre, Rafaela vai ter a companhia da brasileira Gabrielle Roncatto, de 17 anos, que também fará sua estreia na competição mundial. Gabi, que participou dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, competirá nos 100 e 200m livre; 100m peito e 200m medley, nas provas individuais. O time feminino do Brasil conta com seis atletas.

No masculino, o caçula brasileiro é o Caio Pumputis, de 16 anos. O nadador fará sua estreia em mundiais no primeiro dia de competição, ao nadar as eliminatórias dos 100m peito. Ainda no mesmo estilo, o atleta nadará a distância de 200 metros, além dos 200 e 400 metros medley.

Nos 400m medley, Caio e os outros nadadores terão como objetivo bater o tempo de outro brasileiro, Brandonn Almeida. Brandonn é o recordista mundial da categoria junior, nos 400m medley, com o tempo de 4m14s47, feito no Pan-Americano de Toronto. Com 18 anos, Brandonn é o atual campeão pan-americano da prova medley. Em Cingapura, além dos 400m medley, o nadador tem o melhor tempo de balizamento nos 1500m livre, e o segundo melhor, nos 800m livre. 

Brandonn, assim como mais três atletas da delegação masculina, estão disputando seu segundo Campeonato Mundial. Também estiveram na edição de Dubai, em 2013: Felipe de Souza, Henrique Painhas e Pedro Spajari. 
Delegação do Brasil
Atletas: Gabrielle Roncatto, Luisa Braga, Maria Luiza Pessanha, Maria Paula Heitmann, Rafaela Raurich, Sarah Marques, Brandonn Almeida, Felipe de Souza, Guilherme da Costa, Guilherme Basseto, Nathan Bighetti, Vinicius Lanza, Henrique Painhas, Kauê Carvalho, Caio Pumputis, Pedro Spajari, Victor Furtado, Victor dos Santos, Giovanny Lima e Eduardo Amaral. 

Comissão Técnica: Chefe de Equipe: Felipe Domingues. Treinadores: Adriana Mitidieri, Carlos Matheus, Tiago da Silva, Waldemyr Saldanha. Médico: Marcus Bernhoeft. Fisioterapeuta: Tiago Cosenza. Massoterapeuta: Wagner Nascimento. Biomecânico: Manoel de Moraes
MUNDIAL JÚNIOR DE NATAÇÃO – MEDALHAS DO BRASIL
Total 9 medalhas: 1 ouro, 5 pratas, 3 bronzes
OURO
Rio 2006 – Leonardo Guedes – 50m costas
PRATA
Rio 2006 – Leonardo Guedes – 100m costas
Rio 2006 – Cândido Silva Júnior – 50m borboleta
Rio 2006 – Alan Silva, João de Lucca, José Rezende Neto e Marcelo Monteiro – 4x200m livre
Monterrey 2008 – Etiene Medeiros – 50m borboleta
Dubai 2013 – Pedro Vieira – 100m borboleta
BRONZE
Rio 2006 – Leonardo Guedes, Maurici Pereira Filho, Frederico Castro e Alan Silva – 4x100m medley
Monterrey 2008 – Marcos Macedo, João de Lucca, Renner Lima e Henrique Rodrigues – 4x100m livre
Lima 2011 – Arthur Mendes Filho – 100m borboleta
Programação
Dia 25/08 – Terça-feira
Eliminatórias 23h (hora de Brasília)

400m Livre Masc – Guilherme Costa
50m Peito Fem – Sem brasileiras
100m Costas Masc – Guilherme Basseto e Nathan Biguetti
400m Medley Fem – Sem brasileiras
100m Peito Masc – Eduardo Amaral e Caio Pumputis
100m Costas Fem – Maria Luiza Pessanha
4x100m Livre Masc – Brasil
4x200m Livre Fem - Brasil
Finais e Semifinais – 7h (hora de Brasília)
400m Livre Masc
Semifinal – 50m Peito Fem
Semifinal – 100m Costas Masc
400m Medley Fem
Semifinal – 100m Peito Masc
Semifinal – 100m Costas Fem
4x100m Livre Masc
4x200m Livre Fem
Dia 26/08 – Quarta Feira
Eliminatórias 23h (hora de Brasília)

200m Medley Masc – Caio Pumputis
100m Livre Fem – Gabrielle Roncatto e Sarah Marques
100m Borboleta Masc – Vinicius Lanza e Henrique Painhas
200m Borboleta Fem – Maria Luiza Pessanha
200m Livre Masc – Felipe Souza e Victor Furtado
4x100m Medley Misto - Brasil
800m Livre Fem – Séries Fracas – Luisa Braga
Finais e Semifinais – 7h (hora de Brasília)
100 Costas Masc
200m Borboleta Fem
200m Livre Masc
50m Peito Fem
Semifinal – 100m Borboleta Masc
Semifinal – 100m Livre Fem
100m Peito Masc
100m Costas Fem
200m Medley Masc
800m Livre Fem – Série Forte
4x100m Medley Misto
Dia 27/08 – Quinta Feira
Eliminatórias 23h (hora de Brasília)

50m Borboleta Fem – Sarah Marques 
50m Costas Masc – Guilherme Basseto e Nathan Biguetti 
100m Peito Fem – Gabrielle Roncatto 
50m Livre Masc – Felipe Souza e Pedro Spajari 
200m Costas Fem – Maria Luiza Pessanha 
4x100m Livre Misto - Brasil 
800m Livre Masc – * Brandonn Almeida
Finais e Semifinais – 7h (hora de Brasília)
Semifinal – 50m Borboleta Fem  
Semifinal - 50m Livre Masc  
200m Costas Fem 
100m Borboleta Masc 
Semifinal - 100m Peito Fem 
Semifinal - 50m Costas Masc 
100m Livre Fem 
800m Livre Masc – Série Forte 
4x100m Freestyle Misto
Dia 28/08 – Sexta Feira
Eliminatórias 23h (hora de Brasília)

50m Costas Fem – Maria Luiza Pessanha 
50m Borboleta Masc – Vinicius Lanza e Victor Santos 
400m Livre Fem – Rafaela Raurich 
200m Peito Masc – Eduardo Amaral e Caio Pumputis 
200m Medley Fem – Gabrielle Roncatto 
4x200m Livre Masc - Brasil
Finais e Semifinais – 7h (hora de Brasília)
Semifinal - 50m Costas Fem
200m Peito Masc
50m Borboleta Fem
50m Costas Masc
100m Peito Fem
50m Borboleta Masc  
400m Livre Fem 
50m Livre Masc 
200m Medley Fem  
4x200m Livre Masc 
Dia 29/08 – Sábado
Eliminatórias 23h (hora de Brasília)

100m Livre Masc – Felipe Souza e Pedro Spajari 
100m Borbolta Fem – Sarah Marques e Maria PaulaHeitmann 
400m Medley Masc – Brandonn Almeida e Caio Pumputis 
50m Livre Fem – Sarah Marques e Maria PaulaHeitmann 
50m Peito Masc – Eduardo Amaral 
4x100m Livre Fem - Brasil 
1500m Live Fem – Sem brasileiras 
Finais e Semifinais – 7h (hora de Brasília)
1500m Livre Fem – Série Forte
Semifinal 100m Livre Masc
Semifinal 100m Borboleta Fem
50m Borboleta Masc
Semifinal 50m Livre Fem
Semifinal 50m Peito Masc
50m Costas Fem
400m Medley Masc
4x100m Livre Fem
Dia 30/08 – Domingo
Eliminatórias 23h (hora de Brasília)

200m Costas Masc – Nathan Biguetti 
200m Peito Fem – Sem brasileiras 
200m Borboleta Masc – Kaue Carvalho e Henrique Painhas 
200m Livre Fem – Rafaela Raurich e Gabrielle Roncatto
4x100m Medley Masc - Brasil 
4x100m Medley Fem - Brasil 
1500m Freestyle Masc – *Brandonn Almeida e Guilherme Costa

Finais e Semifinais – 7h (hora de Brasília)
100m Livre Masc 
200m Peito Fem 
200m Costas Masc 
100m Borboleta Fem 
1500m Livre Masc – Série Forte 
50m Livre Fem 
200m Borboleta Masc 
50m Peito Masc 
200m Livre Fem 
4x100m Medley Masc 
4x100m Medley Fem

* - As presenças nas séries fracas ou fortes dos 800m livre e 1500m livre serão definidas no congresso técnico.



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!